Meio Ambiente

9º BPM implanta programa de coleta seletiva em sua sede

Publicados

em

Por | 09.06.2015

 

A reciclagem de lixo e a coleta seletiva são de extrema importância para a conservação do meio ambiente. Através delas é possível reduzir os efeitos da poluição, melhorar a qualidade de vida, evitar doenças, além de economizar os recursos naturais e recuperar matérias primas que de outro modo seriam tiradas da natureza.

 

Diante desta questão, o 9º Batalhão aderiu ao projeto Vem Reciclar, recebendo dois coletores de lixo seco (jornais, latas de refrigerante, folhas de papel, garrafas pet, entre outros) que posteriormente serão levados à sede da Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Cachoeiro de Itapemirim, no bairro Coronel Borges, onde recebem o tratamento adequado e são vendidos a quilo, sendo o lucro mensal revertido a cada um dos associados. O projeto foi criado pela Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim, com apoio da Secretaria do Meio Ambiente e Secretaria de Educação.

 

De acordo com o comandante, Tenente Coronel Alessandro Marin, esse projeto estimula a preservação ambiental, além de garantir novas oportunidades de renda para os catadores de lixo. “Com esta iniciativa, todos os integrantes do 9ºBPM assumem um papel ativo de proteção ao meio ambiente. Sem contar que, apoiar o projeto contribui também para a valorização dos catadores, tirando-o das ruas”, finaliza.

Leia Também:  Litoral de Itapemirim recebe monitoramento ambiental

 

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Meio Ambiente

Grupo Up compensa emissão de carbono com investimento em projeto na Amazônia

Publicados

em

Comprometida em equilibrar a sustentabilidade do negócio à proteção do meio ambiente e à responsabilidade social, o Grupo Up, por meio da Fundação Up, determinado em compensar o impacto de sua organização nos recursos não renováveis do planeta, tem investido na aquisição de créditos de carbono ou na Redução Certificada de Emissões.

Com apoio a projetos no Brasil, México e Turquia, a empresa compensou quase 12 toneladas de C02. Isso indica que todo o dióxido de carbono (CO2) emitido a partir de suas práticas no período de 2017 a 2020 foi compensado pelo incentivo a projetos socioambientais, neutralizando gases do efeito estufa na atmosfera.

No Brasil, o projeto apoiado é o Projeto REDD+ RESEX Jacundá, que tem foco no investimento da melhoria da qualidade de vida das comunidades e no monitoramento da cobertura florestal e da biodiversidade, visando reduzir impactos sociais e ambientais em Machadinho D’Oeste e Cujubim (Rondônia), em uma área de 95,300 mil hectares. Na prática, o Projeto Jacundá se consolida em três pilares importantes: vigilância da área, apoio à pesquisa científica e desenvolvimento socioeconômico local.

Ao longo do trabalho desenvolvido, árvores com um papel ecológico e socioeconômico relevante na história da Amazônia, como a Castanheiras e a Seringueiras, entre outras, foram preservadas promovendo melhores práticas agrícolas e reduzindo as emissões de gases vinculadas ao desmatamento pelos habitantes da área de floresta protegida. A fauna e a flora também ganharam 16 espécies de vegetais e 14 de animais foram preservadas, incluindo a conservação do habitat de espécies ameaçadas de extinção e a proteção de uma das reservas de pássaros da América do Sul mais ricas do mundo.

Leia Também:  Cachoeiro cadastra nascentes para reflorestamento

Todo o processo foi certificado pela EcoAct, consultoria de sustentabilidade internacional privada e desenvolvedora de projetos, com sede em Paris, que supervisiona os projetos em campo e acompanha os benefícios concretos. Os projetos selecionados nos 3 países receberam os mais altos padrões de certificação no mercado voluntário de compensação de carbono, como o Gold Standard do World Wild Fund (WWF), o VCS da VERRA ou o padrão adicional do CCBA do CCBA.

Além do projeto de compensação de carbono, outras iniciativas de conscientização e ações com o objetivo de reduzir o impacto da emissão de substâncias nocivas no meio ambiente vêm sendo efetivadas, como a redução de 70% no volume de aquisição de papel, com a adoção crescente de soluções digitais. “Em ligação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, concentraremos nossos esforços em projetos de reflorestamento, preservação de florestas e biodiversidade, juntamente com o desenvolvimento de energias renováveis, garantindo a proteção das populações mais vulneráveis. Continuaremos sendo agentes potenciais para a construção de uma sociedade mais justa e responsável”, reforça o CEO da Up Brasil, Jean-Pierre Fossat.

Leia Também:  Grupo Up compensa emissão de carbono com investimento em projeto na Amazônia

Sobre a Up Brasil

A Up Brasil foi fundada em 2016, com a fusão da multinacional francesa de gestão de benefícios Grupo Up e as regionais Plan, Policard e Vale Mais. Desde então, a Up Brasil cria e comercializa um portfólio de benefícios completo com soluções em alimentação, refeição, antecipação salarial, vale-transporte, bem-estar e home office.

Também apoia empresas de todos os portes na gestão das despesas do seu negócio, oferecendo soluções que promovem maior fidelização e satisfação dos colaboradores. No Brasil, a Up conta com 17,5 mil clientes, 2 milhões de cartões e uma ampla rede credenciada.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA